Was I born in the wrong time?

23 05 2020

Hoje eu acho o mundo uma metamorfose ambulante muito mais rápida do que eu consigo acompanhar. De muitas convicções eu inclusive desisti, porque elas mudavam todo dia. Mas em uma coisa eu penso sempre: acho que nasci na década errada.

Penteado dos anos 70; Depeche Mode nos anos 80; Joan Jett, guitarrista; Malía, cantora

Continue lendo »





“Eu sou Amsterdam”*

23 10 2013

Dois anos depois de ter estado pela primeira vez na Europa, voltei ao velho continente, dessa vez para Amsterdam. E olha… valeu cada minuto (apesar d’eu ainda não ter descoberto a forma certa de escrever o nome dessa cidade).

*Um trocadilho com a tradução do famoso letreiro “I amsterdam”.

100_7685

[Veja aqui todas as fotos da viagem em tamanho grande, inclusive as que ilustram esse texto]

Estacionamento de bicicletas próximo à Centraal Station: carro de duas rodas

Estacionamento de bicicletas próximo à Centraal Station: carro de duas rodas

Quando postei algumas das mais de 550 fotos da viagem no Facebook, comecei falado que, se você acha que Amsterdam é só para fumar maconha, ver as prostitutas em suas vitrines e para subir no letreiro, era melhor apagar o beck e tirar o cavalinho da chuva, porque a cidade é muito mais que isso. Inclusive, lá é o lugar perfeito para você colocar em prática toda aquela educação que sua mãe te deu, porque a recíproca é verdadeira: todos são uma finesse só, dá gosto.

Amsterdam é a principal cidade da Holanda (que não é a mesma coisa que Netherlands, veja) e é toda cortada por canais que são também vias de transporte. [Eu e minha companheira de viagem, a escritora Ana Elisa Ribeiro, podemos nos orgulhar de termos andando em TODOS os meios de transporte da cidade, rá!] As pessoas lá realmente moram em barcos e realmente usam a bicicleta para tudo, e até isso é atração turística na cidade. Continue lendo »








%d blogueiros gostam disto: