Bem vindo à minha ficção IV: Querida Moyra

15 06 2016

meu-gato-e-sabio-de-noite-se-enrosca-nos-minhas-pernas-e-consegue-se-aquecer-na-sombra-de-aimara-schindler-frase-2900-9896

Junho. 2016, A.D.

.

.

Querida Moyra.

Há quanto tempo não nos vemos? Acredito que há muitos meses… não, anos.

Mas o que são anos ou meses para criaturas como nós? Nada mais que horas para essas pessoas que vemos todos os dias pelas janelas e esquinas, talvez. Mas enfim – sinto sua falta. Sinto falta de nossas longas conversas sobre coisas que só nós nos lembramos e compreendemos. Coisas que só nós temos condições de conversar, por termos uma visão completa do quadro – por já termos visto seu princípio e seu fim.

Onde você está agora? Você ficou aqui tão pouco tempo! A única coisa boa que enxerguei depois que me recuperei de sua rápida e marcante passagem é que senti algo, o que eu chamaria de algo bom. Creio que estava desacostumado com essa sensação, enferrujado todo esse tempo, por isso custo tanto a definir. Foi estranho, mas eu gostei. Enfim. Continue lendo »





Beijos que redimem

6 09 2013

Sinto muito, caro leitor, mas este não é um texto sobre coisas fofas de amor.

Ok, talvez possa ter um link com amor, mas num sentido mais amplo, mais universal – bah, divago.

cartas_com_beijos

Continue lendo »








%d blogueiros gostam disto: