Reclama, reclama sim

6 07 2016

Lidar com serviços de atendimento ao consumidor de qualquer coisa é algo que realmente não gosto.

Não gosto porque eu sei que, sempre que eu precisar de um desses serviços, vou passar por um longo caminho pensado para me fazer desistir da empreitada. E isso é proposital, não se engane – não adiantam leis, decretos, PROCON, nada. As empresas sempre darão um jeitinho de, malandramente, dificultar o seu contato com eles.

reclamacao 2

Slide: Cláudia Ferreira / EBI Arrifes

Eu sempre soube disso, mas nunca consegui engolir. Talvez pela minha postura pessoal com os outros, mas nunca entendi porque quem te presta um serviço prefere enrolar para resolver seu problema ao invés de ir direto ao ponto para que todos terminem o dia mais felizes. Oh, sim, é claro, já temos algumas empresas de vanguarda que até mandam bilhetinhos escritos à mão para o cliente e interagem com ele pelo WhatsApp brincando e comentando séries, mas são a minoria (e elas podem muito bem estar te chamando de “miga” para te enrolar também) – o mais comum ainda é passar raiva.

 

Vou usar três exemplos, meus, que mostram isso. Mas qualquer um pode se reconhecer neles: Continue lendo »





A “profissão mais antiga do mundo” também é profissão

31 01 2013

[gostaria de não levantar polêmicas – por pura preguiça – mas… é um risco que se corre]

Tenho acompanhado a discussão e a histeria geradas em torno do projeto de lei do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) – também conhecido como Lei Gabriela Leite – que regulamenta o exercício da prostituição no Brasil e, devido a tudo que já vi sobre grupos historicamente marginalizados e sempre pré-julgados (obrigada, estágio no Conselho Regional de Psicologia-MG), quis dar minha humilde opinião também.

Jean Wyllys

Jean Wyllys chocou ao dizer que 60% dos parlamentares contratavam prostitutas. Mas quem é que ainda tinha alguma dúvida disso?

Na verdade, não é bem uma opinião, é mais uma pequena introdução a um texto muito bom da Monique Prada, ela mesma profissional do sexo, a respeito do tema. Continue lendo »





Três pequenas cenas do caos urbano ou o “Levante do Por Favor”

12 07 2012

Caro leitor, observe:

Cena 1:

Linha 8205, sentido Nova Granada > Maria Goretti, um dia qualquer da semana, por volta de 20h. O cobrador, sentado em sua cadeira, conversa ao celular enquanto atende displicentemente aos passageiros que passam pela roleta. De repente, um deles, sentado na frente do ônibus, se irrita com alguma coisa que eu não pude ouvir:

Cobrador (tirando o celular do ouvido): – Cê é louco?

Passageiro: – Não sou obrigado a ficar ouvido isso aí que você tá falando!

Cobrador (se levantando): – Cara, você é doido, ah, você vai ver… Continue lendo »








%d blogueiros gostam disto: